Vista da Colina

Vista da Colina

Um local que vem me fascinando nestes últimos 19 anos que venho a Salvador -BA, é a Igreja de São Lazaro e sua estonteante  vista.
Eu sempre venho caminhando pela Avenida Cardeal da Silva e entro na estrada de São Lazaro sentido UFBA –  (Faculdade de Filosofia e Sociologia), mas há também como vir caminhando pela Ondina subindo pela escadaria que levará diretamente a Igreja. E é de lá precisamente que tenho uma das vistas que me faz refletir sobre a vida e invocar ótimos ventos nobres, boas energias, etc. A  Igreja de São Lazaro, que é ainda mais antiga do que a tão famosa Igreja do Bonfim ( Na Ribeira), está localizada em uma Colina. Naquela época acreditava-se que os locais altos, tais como as colinas; ofereciam segurança e refúgio. Existem relatos de que a Igreja de São Lazaro existe desde 1737. Baseando-se nisto, foi dito que a Colina de São Lazaro com milhares de devotos é uma Colina Sagrada na medida em que é um Lugar de encontro com Deus.

Na primeira metade do Século XVIII, o terreno pertencia a família de Francisca Xavier e Jorge Fernandes da Rocha. A Atual Igreja de São Lazaro, não foi construída de uma só vez, pois antes dela existia apenas uma Capela. De acordo com as informações de alguns padres Jesuítas, a primeira Igrejinha era dedicada ao Glorioso São Roque. Acredita-se que ali naquela area moravam pessoas de muita fé, uma vez que Salvador era simbolizada pela cidade alta e baixa. A região de São Lázaro ainda teria de ser uma ambiente de roça.
Não sabe-se ao certo, mas a data de sua construção antecede o ano de 1737, de acordo com as notas de tabelião de 12 de Outubro de 1737.

A Câmara de Salvador enviou um requerimento  ao Rei de Portugal por volta do dia 5 de julho de 1755, solicitando uma licença especial para que fosse imposta uma Contribuição Real de São Lazaro. Os recursos foram cedidos e com isto foi construída  um novo prédio do Lazareto onde se dava assistência aos pobres e doentes, sendo assim uma espécie de Hospital para os menos privilegiados e abandonados.

A Igreja de São Lazaro, apesar de seu valor artístico, nunca foi elevada a ser uma Igreja Paroquial.
Eu li um parágrafo no livro da Igreja de São Lazaro, que mostra um dito do Poeta Austríaco R.M Rilke (1875-1926), que um certo dia foi visitar a Itália. Chegando a Roma, foi ver de perto a Imponente Basílica de São Pedro, no Vaticano.
Como ele havia ficado estonteado com a tão imponente obra, ele disse:

” Os homens que construíram esta basílica tinham fé! Hoje não é mais possível fazer uma obra como esta. Os Homens de hoje somente têm opiniões e com estas opiniões não se constrói as Basílicas. Precisam ter muito amor e Fé!

Festa de São Lázaro e São Roque

Festa de São Lázaro e São Roque

Acontece no mês de Janeiro a festa de São Lazaro, onde durante o mês todos passam pessoas de todo o Brasil. Mas é no ultimo domingo do mês que celebra a festa solene do glorioso São Lázaro. Sendo que no ultimo sábado que antecede a festa, tem lugar a “lavagem de São Lázaro” que começou a ser realizada desde 1984. As segundas-feira sempre têm um número bem maior de devotos comparados com os domingos. Centenas e muitas vezes, milhares de fiéis vão até a Igreja para agradecer, pedir, pagar promessas, rezar, etc. O que eu realmente acho muito bonito e admiro por demais a fé do povo Brasileiro. Para mim, quanto mais simples e inocente a fé do cidadão, mais rica se torna sua beleza. Outro mês onde é celebrada a Festa de São Lázaro é no dia 16 de agosto ao redor da Imagem de São Roque.
Vale muito a pena mencionar que esta Igreja é muito adorada pelos Filhos e Sacerdotes do Candomblé. Uma vez que no sincretismo, São Lazaro é comparado a Omulu e Obaluaê (Orixás das doenças, Senhor da Vida e da Morte. Dono da terra) Por este motivo, pode-se observar que vários adeptos vestem branco e fazem Ebós ( Limpeza espiritual) perante o cruzeiro da Igreja.
O mais interessante é ver de perto este respeito reciproco entre Católicos e os adeptos do Candomblé. São muitos os cânticos a Omolu, Obaluaê, muita pipoca sendo passada pelo corpo. As Senhoras e Senhores que valorizam e preservam o culto aos ancestrais estão presentes e firmes em sua tão admirada fé e valores do Sagrado. Eu particularmente acho uma delicia ficar prestando atenção nas pessoas e principalmente, escutando os cânticos e suas lindas vozes.
Os devotos de São Lázaro têm uma pequena programação a cumprir. Uma programação que lembra o esquema de uma verdadeira Romaria, onde tudo começa na pequena pracinha diante da Igreja. Aqueles que ali chegam para pagar uma promessa dirigem-se para a barraca onde podem comprar velas, as imagens de Santo ou as fitas. Quem comprou os objetos religiosos irá para a Igreja. Mas têm alguns que param na frente do pequeno cruzeiro, na praça, para rezar ou tomar banho de pipoca. Nas festas de São Roque e São Lázaro, formam-se uma grande fila para aqueles que querem passar pelo banho de pipoca oferecido por um Sacerdote de Orixá (Pai ou Mãe de Santo). Muitos acendem velas ao redor do cruzeiro e outros amarram fita. Enfim, cada um faz o que sua fé determina!

São Lázaro

Imagem de São Lázaro

Imagem de São Lázaro

A narração de Jesus nos mostra a identidade de Lázaro e quem ele é. Lázaro é um pobre, cheio de feridas e está caído a porta do rico. O estado social é o do marginalizado jogado a margem da comunidade. Sabemos que o lugar da pessoa é na família, no trabalho na comunidade. Lázaro, por causa da pobreza, vive na solidão, no isolamentos no abandono. Vive a condição da “não-gente”, que passa a vida na rua , sem o mínimo de segurança e conforto. Além disto, Lázaro é doente e cheio de feridas pelo corpo, onde deveria estar num hospital e ser atendido pelos médicos. Mas isto não acontece pois a sociedade desconhece o que é a fraternidade e a solidariedade.
O rico e Lázaro, durante uma vida, viveram sempre muito distante e foram muito diferentes. Mas foi a morte que igualou os dois de forma exata. Diante da morte não há rico ou pobre e certamente todos vão passar por ela.
Com a morte dos dois começa a mudança e Lázaro foi levado aos céus junto de Abraão. Lázaro, pobre, aleijado e cheio de feridas é colocado no seio de Abraão, sendo esta designada uma honra. E o  rico tomou outro rumo diferente, segundo o que foi dito por Jesus. Após a vida sofrida que tivera, Lázaro experimentaria a proximidade de Deus. Está no céu, é santo e percebe que Deus é o Deus da Vida e o pai dos pobres e marginalizados.

Omulu e Obaluaê

Senhor da Terra, Senhor da Vida e da Morte.

Senhor da Terra, Senhor da Vida e da Morte.

Omolu é a Terra! Esta afirmação resume muito e descreve de forma precisa este Orixá. O mais temido entre os Orixás, sendo ele o Orixá da Varíola,  de todas as doenças contagiosas. O Poderoso Rei Dono da Terra.
É preciso esclarecer, no entanto, que Omulú está ligado ao interior do planeta Terra e isto denota uma intima relação com o fogo, ja que este elemento, comprovam os vulcões em erupção , domina as camadas mais profundas do planeta.
Orixá cercado de mistérios, Omolú é um deus de origem incerta. Uma vez que na Africa ele era cultuado em diversas partes com características muitos próximas as suas.
As pipocas (deburus) são as oferendas predilectas deste Orixá.
Omolú nasceu com seu corpo coberto de chagas e foi abandonado por sua mãe, Nanã Burucu, na beira da praia. Neste momento, caranguejos causaram enormes ferimentos a sua pele e foi Yemanjá quem  encontrou aquela criança e o adotou, criando-o com todo amor e carinho que uma mãe pudesse oferecer. Com as folhas da bananeira, ela curou as feridas no rosto de Omolú, tornando-se um grande guerreiro e caçador, que se cobria com palha da costa (ikó), pois havia tornado-se um ser de tanto brilho quanto o sol e não para esconder as marcas de suas doenças como muitos pensam. Por este motivo a banana prata e o caranguejo tornaram-se o maior trauma de Omolú.

Omolú, andou por todas as partes da Africa, muito antes inclusive de surgirem algumas civilizações. Do ponto de vista histórico, Omolú vem mesmo antes da idade dos metais. Andou por todas as partes do mundo, conheceu todas as dores e curou todas elas. Omolú se tornou médico, o médico dos pobres, pois, muito antes da ciência, salvava a vida dos necessitados; durante a escravidão, só não pôde superar a crueldade dos senhores, mas de doenças livrou muitos negros e até hoje muitos pobres só podem recorrer a Omolú que nunca lhes falta.
O lado positivo da maioria dos filhos de Omolú supera em muito esse lado auto-destrutivo que todos têm uns mais, outros menos, mais tem sim.
São extremamente alegres, perseverantes, pacientes e amorosos, tiram a roupa do corpo para agradar uma pessoa, tratam o dinheiro pelo lado do prazer, da satisfação.
Extremamente fiéis a uma causa. A justiça para os filhos de Omolú não é a dos homens e sim a de Deus (Olodumare), super limpos e vaidosos, ao contrário de muitos arquétipos, são na maioria muito bonitos, se não fisicamente, são espiritualmente e ainda tem grande afinidade pela atração que exercem nas pessoas. Tem uma capacidade mental atualizada ao seu tempo, raramente adoecem e quando acontece se recuperam mais rápido ainda.

A Capela dos Milagres

Sao Lazaro_078

Capela dos Milagres

Capela dos Milagres

Ela fica ao lado esquerdo da Igreja e para mim simboliza não apenas o maior exemplo de fé, mas mostra a gratidão daqueles que alcançaram suas graças. Os devotos colocam partes do corpo humanado em cêra, fotografias, e até mesmo algumas peças de roupas, pedindo a cura, mais saúde, a solução positiva de alguém que sofreu um grave acidente, etc. É realmente uma pequena sala, com uma imensidão de graças. Cada uma destas promessas têm consigo a sua própria história. Também aparecem por lá imagens de Santo quebradas ou mesmo danificadas.

O Candomblé

Candomblé é uma palavra africana que significa Dança. Propriamente é uma dança religiosa onde reza-se para os Orixás. Esta dança é uma invocação feita em uma roda feita por mulheres de samba, daí vem o nome tão comum no Brasil: A Roda de Samba.
A religião afro (Candomblé) é uma religião não-cristã, mas sim uma religião de resistência e ter por base a anima (alma) da Natureza pois é derivada do animismo africano (acesse casa de oxumare). Não possui a Sagrada escritura, a revelação de Deus pos escrito. Ela não têm no seu patrimônio espiritual, o cristo como filho de Deus, não têm o Espírito Paráclito (Há quem o Pai enviares em meu nome), desconhece Deus-Trindade, Não possui os sacramentos como sinais da presença de Jesus Cristo. O conceito da Igreja e a sua realidade divino-humana não se encontra na religião afro. Também a verdade como a salvação a fé, a vida eterna a graça, etc. Não correspondem plenamente a fé cristã. Não se deve confundir a cultura badiana com a religião afro (Candomblé), não se pode confundir a fé cristã com a fé afro. O que deve ter entre elas é o diálogo e o respeito mutuo. O diálogo inter-religioso faz parte da missão evangelizadora da Igreja.
O candomblé acredita que todos nós Seres-Humano, somos originados da Natureza, sendo o dia, hora e local determinado por um Orixá. Olodumare (O Criador) designou aos Orixas que fossem os mediadores e deu a cada um deles uma forte ligação com a Natureza e assim passaram  a ter suas características próprias.
Os Orixás são a força, a energia, a natureza em suas próprias variações. Por isto se oferece a comida, a folha, a terra, a agua, o vento, etc. Pois são a ligação mais pura com o que o Criador nos proporciona e que nos mantém vivos no dia a dia. Sem ar não se vive, sem comida, sem agua não se vive.

No candomblé Olodumare é o Deus Supremo e os Orixás são seus mediadores, onde na Igreja Jesus Cristo é o Mediador de Deus. No candomblé não acredita-se no diabo, pois não há nenhuma divindade com este arquétipo denominado pelos cristãos.  O  sincretismo tornou-se o pensamento baseado na fusão de crenças e práticas religiosas ou culturais distintas e por vezes opostas. A Umbanda é a típica religião sincrética  Brasileira, onde o Candomblé não associa os mesmos fatos.
Há católicos que todas as segundas-feira, jogam Padê (comida feita com farinha), para Exú, que é o Orixá Mensageiro e dono do caminho, como forma de Saudação. Uma vez que a segunda feira foi consagrada a este poderoso Orixá.
A relação entre os Santos da Igreja e os Orixás do Candomblé é o nítido exemplo do sincretismo na Bahia e talvez por todo o Brasil atualmente. Seguindo alguns exemplos:

Jesus Cristo – Oxaguiã
Deus, Senhor do Bonfim – Oxalá, Oxalufã, Olodumare
Santa Barbara – Yansã
São Jorge – Ogun
Espirito Santo – Ifá
São Lázaro – Omolu
São Roque – Obaluaê

Objetivamente falando, os santos da Igreja Católica não são Orixás e vice-versa. Mas eu particularmente fico muito intrigado com tanta semelhança e no meu modo de observar as coisas, eu acho que no fundo, no fundo, todos são grandes camaradas.

O mais importante é ter Fé, e eu sou um amante da simplicidade, da devoção (sem fanatismo), com respeito e atenção ao proximo. Ao contrário de religiões que vivem de conversão, pois a filosofia é de que: Quanto mais fieis, mais dinheiro!
O bonito é rezar, é ter fé, é amar Deus ou Orixá. O importante é estar venerando a Natureza, que é a prova viva de que Deus Existe.

Espero que tenham gostado da matéria e ficarei aqui ansioso para ver os comentários e perguntas. Um forte abraço a todos e que São Lázaro, São Roque, Omolú ou Obaluaê abençoe a todos e façam que o Ser Humano entenda que somos todos filhos da terra e que para elas retornaremos da mesma forma.

0

 likes / 0 Comments
Share this post:

comment this post


Click on form to scroll

Archives

> <
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec
Jan Feb Mar Apr May Jun Jul Aug Sep Oct Nov Dec